Conselhos para Jovens Planejadores

Você quer um conselho para ser planejador?
Fica aqui o meu conselho pra você: leia os conselhos dos melhores.
Isso mesmo! Os mais bem conceituados planejadores e comunicadores do mundo deixaram alguns conselhos para nós, jovens planejadores, e que temos interesse em seguir a profissão.
Tudo começou em uma agência sueca, Jung Von Matt, onde um planejador deixou em seu blog uma série de Conselhos para os planejadores da próxima geração.
Ele dirigiu uma pergunta aos mais respeitados profissionais de planejamento do mundo: "“qual é o seu melhor conselho para a nova geração de jovens e ambiciosos planejadores?”
A série apresenta dicas essencias para quem atua, ou pretende atuar na área. São 18 pessoas que tem muito o que ensinar para nós que temos muito o que aprender.
Um fato que me chamou a atenção é que uma das profissionais é a diretora do Planjemento da TOM Comunicação, Adriana Machado.
O nome dela está ao lado de grandes planejadores de outros países, o que nos mostra a grande referência que temos em Belo Horizonte.

O site, para quem quiser conferir as dicas: http://chmkt.blogspot.com/2009/03/dicas-para-os-planners-do-futuro.html

Vale a pena escutar os melhores... Quem sabe um dia não estaremos entre eles?

Questão de Planejamento

Já reparou como existem épocas do ano em que parece que não nos sobra tempo nem para beber água? Nem mesmo para ir ao banheiro?! Nesses momentos, costumamos pensar: “Bem feito! Quem mandou entrar pro mundo da Comunicação, onde tudo é pra ontem e temos que andar [voar] à mesma velocidade das informações?! Pois bem, agora aguente!” Mas alguns dias, ou meses depois, nos pegamos em uma maré tranquila, onde nada, ou muito pouco, acontece e conseguimos nos sentir até mesmo entediados! Confesso que prefiro a primeira fase, apesar de reclamar...

No entanto, não é necessariamente do tempo – ou da falta dele - que venho lhes falar, mas sim do que fazemos com ele. Nosso tempo é exatamente o reflexo do que fazemos com ele. Se o desperdiçamos com preocupações e divagações sobre quantos problemas temos para resolver, certamente não nos sobrará tempo para resolvê-los efetivamente! Da mesma forma, quando começamos todas as obrigações ao mesmo tempo, acabamos por não findar nenhuma delas. O que nos acontece é que, diante de várias atividades a serem executadas, nos desnorteamos e perdemos a noção de por onde começar. Portanto, para que o mundo não caia sobre nossas cabeças e nem suma sob nossos pés, é preciso colocar em prática um verbo chave: planejar.

Estamos acostumados a planejar a vida dos outros, a Comunicação dos outros, a organização dos outros, o evento dos outros. Mas esquecemos de nos planejar, planejar nossa vida, nossas ações, nosso cotidiano. Sim, o cotidiano deve ser planejado! Priorizar o que é mais importante, urgente ou que deve ser feito por etapas a longo prazo, deixar para mais tarde aquilo que sabemos que não é para agora, mas que às vezes acabamos por fazer primeiro, estipular um cronograma, não deixar que uma atividade tome o tempo da outra, focar-se no que está sendo feito no momento e, finalmente, mas não menos importante, tirar tempo para nós mesmos... Descansar, comer, dormir, conversar com os amigos, a família, ler um livro por distração, ir ao cinema... Arejar a cabeça para que as informações possam circular...

Se mesmo assim não lhe sobra tempo, repense suas prioridades, seus limites. E lembre-se sempre que somos comunicólogos, vivemos à velocidade das informações, mas, no final das contas, somos apenas seres humanos. Ou, como diria Nietzsche. Somos apenas a poeirinha da poeira.

Coca-Cola no topo das mídias sociais

Marca continua no topo do Índice de Marcas em Mídias Sociais (Imms) da agência Frog, divulgado, em primeira mão, pelo M&M Online

A Coca-Cola continua no topo do Índice de Marcas em Mídias Sociais (Imms) da agência Frog, divulgado, em primeira mão, pelo M&M Online. O iPhone segue na segunda colocação, logo à frente do McDonald's, que ocupa agora o terceiro lugar. Os resultados se referem à exposição das marcas nos sites de relacionamento no mês de março. São acompanhadas 150 marcas de 18 segmentos - como automóveis, celulares, bancos, operadoras e cervejas - em quatro tipos de redes: redes sociais (Orkut e Facebook), blogs, micro-blogs (Twitter) e vídeos (Youtube).

O Imms é um indicador da densidade de referências a determinado termo na internet. Focado no conteúdo e nos debates em português, o estudo é estruturado a partir dos hábitos de uso do internauta brasileiro. "É um índice referenciado, como os famosos índices BigMac ou iPod (que comparam o custo desses produtos em diversos países)", afirma Roberto Cassano, diretor de estratégias e mídias sociais da Frog. O ponto de referência do Imms é a marca Google, pois, segundo Cassano, é a que tende a ter a maior quantidade de referências em todas as ferramentas.

Com a ajuda de robôs, a agência levanta a quantidade de ocorrências de cada uma das marcas no universo de abrangência da pesquisa. O resultado é comparado à performance da marca Google e ponderado com base em indicadores definidos de acordo com a importância de cada rede social para o mercado brasileiro. "Damos o devido peso às menções. Sabemos que uma citação no Orkut, uma no Twitter e uma no Youtube não podem ter pesos iguais, já que indicam sentimentos diferentes e têm possibilidades de disseminação e alcances distintos", explica Cassano.

Confira as 10 primeiras marcas do ranking geral e as três primeiras por segmento.

AS 10 PRIMEIRAS NO GERAL
1º Coca-Cola
2º iPhone
3º Mcdonalds
4º Sony
5º Apple
6º Adidas
7º Nokia
8º Nike
9º Chevrolet
10º Skol

As 3 PRIMEIRAS POR SEGMENTO
Operadoras
1º Oi
2º Claro
3º Vivo

Celulares
1º iPhone
2º Nokia
3º Motorola

Automóveis
1º Chevrolet
2º Ford
3º Fiat

Cervejas
1º Skol
2º Brahma
3º Bohemia

Banco
1º Itaú
2º Bradesco
3º ABN Real

Blogueiros e marcas podem ser processados por declarações falsas de produtos

Não é de hoje que o assunto está em pauta, mas a americana Federal Trade Commission (FTC), foi a primeira entidade a divulgar que deve adotar regras que responsabilizam os blogs (e as empresas que se relacionam com eles) no caso de declarações falsas sobre produtos, ou seja, se uma marca envia um produto para blogs e um blogueiro escreve que aquele produto leva a determinado efeito, mas a informação é falsa, tanto blogueiro quanto a empresa poderão ser processados pela FTC.

A Associação Americana de Agências de Publicidade reagiu e declarou que “regular muito cedo essa mídia ainda em desenvolvimento pode ter efeito negativo sobre os blogs e outras formas de marketing viral”. O Internet Advertising Bureau também se opôs alegando que podem haver consequências não desejadas para as novas mídias caso os anunciantes sejam responsabilizados pelas ações de terceiros sobre os quais eles não têm controle.

Ora bolas, temos que partir da premissa que os anunciantes não enganam seus clientes para vender seus produtos. Pelo menos deveria ser assim. Partindo desta análise, no meu ponto de vista, as entidades que se declararam contra estão erradas. Primeiro porque nenhuma empresa envia material de divulgação para uma mídia sem fiscalizar a comunicação feita (pelo menos deveria, esse é um dos trabalhos do depto de marketing) e segundo que os blogs não são uma mídia nova, já foram descobertos pelos anunciantes a pouco mais de 2 anos e a falta de uma fiscalização pode fazer com que os blogs se tornem uma mídia sem credibilidade nenhuma.
Há um pequena parte (mas existe) agindo de má fé no universo blogueiro postando qualquer coisa por dinheiro. Da mesma forma que existe (também em pequeno número) empresas se valendo dos blogs para espalhar no mercado informações falsas sobre produtos. Isso É uma realidade. Se há fiscalização para tv, para rádio, para revistas e jornais, além de outros canais de comunicação considerados mídias, por que com os blogs seria diferente?

Fonte: http://aletp.com/category/noticias-do-mercado/

Agregador de campanhas

Ferramenta QR Code começa a ser utilizada para incrementar ações publicitárias

Transformar um monte de quadradinhos em uma ação de marketing parece impossível, mas não é. Idealizado no Japão em 1994, o QR Code começa a ganhar notoriedade no mercado publicitário brasileiro. A ferramenta é considerada uma evolução de um código de barras convencional, pois armazena não só informações numéricas como também de texto. Para que uma pessoa possa saber o significado da figura, basta instalar um software leitor de QR Code em seu celular de forma gratuita.

O código, que significa Quick Response (resposta rápida), começou a ser utilizado na indústria automobilística asiática e logo embarcou para o mundo da publicidade. No Brasil, a ferramenta passou a figurar em anúncios no final de 2007, em uma campanha criada pela Dentsu Latin America para a Fast Shop. Ao desvendar o código, o cliente concorria a prêmios.

Segundo Alexandre Mutran, diretor de atendimento da Dentsu Latin America, a ferramenta pode ser utilizada de inúmeras formas. "O código pode ser um texto, um número de telefone ou SMS para uma determinada promoção, um link para um site normal ou site móbile, um game, entre outras possibilidades. Considero o QR como uma ponte do mundo real para o mundo virtual", diz.

No primeiro semestre do ano passado, a Dentsu promoveu a cerveja NS2, da Schincariol, no São Paulo Fashion Week. Na ocasião, promotores da empresa emprestavam seus celulares com software leitor para que os visitantes encontrassem brindes em um painel lotado de códigos. Entre os prêmios estavam doses da bebida e camisetas customizadas. "O QR code não é tão poderoso se atuar de forma isolada. O ideal é utilizá-lo como colaborador para potencializar uma campanha", afirma Mutran.

Outra ação desenvolvida pela Dentsu foi com a Nestlé, no segundo semestre de 2008. A campanha "Torce Por Você" possuía um site com quiz e jogo virtual via Bluetooth para duas pessoas. Mutran destaca que a maior barreira para a utilização da tecnologia é a adoção. "Nem todas as pessoas possuem o software leitor instalado em seus aparelhos celulares, por este motivo as ações promocionais em ambientes controlados são ideais para a utilização do QR Code", pontua, destacando que o custo da utilização da ferramenta não é alto.

Durante o Salão do Automóvel, em novembro do ano passado, a Volkswagen aproveitou o QR Code para uma pequena ação em seu estande. O Jornal A Tarde, de Salvador, Bahia, também tem usado o código desde dezembro de 2008.

Parceiro tecnológico
A SupportComm, empresa provedora de serviços voltados ao mobile marketing, atua como parceira das agências em campanhas que utilizam o código bidimensional. "O QR Code é uma das ferramentas do nosso portfólio e sempre desenvolvemos a parte técnica em conjunto com a agência, dificilmente atuando diretamente com o anunciante", explica o diretor comercial, David Carvalho.

Nas peças que anunciaram o C4 Picasso, da Euro RSCG Brasil para a Citroën, a SupportComm criou o código que remetia o consumidor ao vídeo do automóvel. A empresa também desenvolveu o QR Code na campanha de Natal da F/Nazca para a Claro. A figura estava impressa em folhetos dos pontos-de-venda e anúncios para jornal e revista.

Para conseguir decifrar o código, o cliente da operadora enviava um torpedo com a palavra "Escolha" para o número 250 e baixava, gratuitamente, o leitor no seu celular. Após a instalação, a pessoa apontava a câmera para o QR Code e recebia um link para baixar de graça a trilha da campanha. Quem não fosse cliente Claro era direcionado para um site wap com informações sobre as promoções especiais da operadora para o Natal.

Para Carvalho, as empresas estão começando a utilizar o mobile marketing em suas ações publicitárias. "Este é o ano do mobile marketing, pois existe uma enorme demanda. Basta uma padronização das operadoras para que este mercado deslanche", opina o executivo.

A Spring Wireless, que recentemente adquiriu a Okto Mobile Ideas, já realizou três pilotos de QR Codes com empresas conhecidas. Até o momento, o único case da empresa é o próprio cartão de visita institucional.

Carlos Domingues, diretor de soluções de mobile marketing e mobile entertainment da Spring Wireless, destaca que a adesão por parte dos anunciantes é baixa pelo fato da tecnologia ainda ser pouco conhecida. "O mundo ideal do mobile marketing é entender o objetivo do negócio. O QR Code não trabalha sozinho e deve ser integrado a uma campanha. A Spring, por exemplo, vende o serviço de forma correta para não gerar frustração ao cliente", conta Domingues.

Anúncios Institucionais
O curioso anúncio da QG Propaganda veiculado na mídia impressa em setembro do ano passado mostrava um QR Code com a seguinte frase: "Se você não consegue ler esta mensagem com a câmera de seu celular, ligue que a gente explica". A pessoa que tivesse o software leitor podia decifrar o texto: "Todas as novidades em tecnologia para sua marca".

Marcello Droopy, diretor de criação da QG Propaganda, esclarece quais eram objetivos com o anúncio institucional. "Usamos o QR Code na obra para provocar os clientes e vender nosso peixe. Recebemos diversas ligações de curiosos", destaca, informando que a agência ainda não utilizou a ferramenta em peças publicitárias, mas conta com projetos em andamento.

"Hoje não dá para utilizar o QR Code sozinho em uma campanha, a não ser que tenha público e produto específico. O código entra como ferramenta e agrega muito mais valor do que custa", completa Droopy.

Outra empresa que utiliza a tecnologia para obras institucionais e promocionais é a Impacta Tecnologia. Na campanha "Comunique-se com QR-Code", que terá início na próxima quinta-feira, 2, todas as pessoas que comprarem alguns dos treinamentos oferecidos pela companhia nas áreas de TI e design e decifrarem o QR Code em um dos anúncios impressos receberão camisetas personalizadas de acordo com a área escolhida do curso.

Com abrangência nacional, a campanha será veiculada nas revistas Info Exame, Digital Design, WebDesign, CaDesign, Design Gráfico, Publisher, Photoshop Creative e no jornal Folha de S. Paulo. Caso o celular utilizado não permita a visualização, a Impacta indica o site http://reader.kaywa.com/register para baixar o software.

Para Rodrigo Braga, diretor executivo da Peopleway, empresa de interatividade digital, o mercado de mobile marketing comemora mais este novo canal de comunicação que promete agregar valor a ferramenta e estimular ainda mais o uso do celular em ações promocionais e campanhas interativas. "A vantagem do QR-Code é o fator surpresa. Ele tem um 'q' de mistério, onde o usuário não tem a menor de idéia do que vai encontrar lá, mas vai fazer de tudo para descobrir", comenta.

Páscoa Transgressora


Para sair um pouco do clima de comilança dos deliciosos chocolates, aí vão algumas peças com abordagem transgressora para a Páscoa.
1ª - Para começar qual coelho[pai] nunca se sentiu pressionado para comprar logo o ovo de Páscoa? A peça abaixo diz "Menos histórias. Mais doces!" Muito boa a ilustração.
2ª - Essa aí ficou demais. Uma disputa par ver qual celebridade aparece mais nas peças publicitárias de abril. Se tivéssemos uma mesa de aposta sem dúvida o coelhinho estaria com pelo menos 10 para1. "Quem vai ganhar mais anúncios de oportunidade em abril?" Criação da Fischer América+Fala.4ª - Essa aí é para os preocupados com as gordurinhas. "Chocolate não tem de ser mal."

5ª - Nada como um belo descanso para quem na Páscoa trabalha muito mais que o coelhinho. "Encontre a sua própria razão para fugir nesta Páscoa." Um ótimo convite do hotel Scandic.

E aí o que você achou dessas peças fora do convencional? Gosta ou prefere o tradicional?

fonte: http://ppgmkt.blogspot.com/











Levi's aposta em campanha virtual

Presente no País há mais de 30 anos, a marca de roupas Levi's sempre adaptou totalmente as ações publicitárias dos Estados Unidos para o Brasil. A partir de agora isso deve mudar, pelo menos na internet. A campanha deste ano, desenvolvida pela Centoeseis, pretende aproximar a grife do universo jovem através de uma plataforma 90% baseada na web. O único item mantido como nos anúncios originais norte-americanos é o conceito de "Unbuttoned", que no México, por exemplo, foi traduzido para "desabotonar". Por aqui, o mote em inglês será tema de um vídeo viral, em que pessoas na rua tentam pronunciar a palavra e divagam sobre seu significado.

Hotsites também vão compor uma ferramenta importante para promover a independência da publicidade online nacional - hoje, os sites da Levi's de todos os países só podem ser acessados através do portal internacional www.levis.com. Nessas páginas especiais, o usuá­rio poderá conferir depoimentos dos estilistas da empresa sobre os países que visitam em busca inspiração para as roupas. A divulgação em redes sociais virtuais,­ nas lojas, em videolocadoras e em bibliotecas de faculdades de moda paulistanas completa a inserção no mercado jovem. Tetê Pacheco, diretora de criação da Centoeseis, confessa que "a grife estava perdendo prestígio com esse target".

Maurício Busin, gerente da marca no Brasil, explica que a campanha procura conquistar consumidores de 20 a 25 anos; atualmente, os clientes costumam ter entre 28 e 35. Mas faz uma ressalva, afirmando que quem usa roupas da Levi's "está sempre apresentando muita atitude em seus looks, não é muito apegado a marcas e gosta de se vestir para representar sua personalidade. Quando partimos para essa segmentação, percebemos que a idade passa a ser algo mais secundário". Busin também diz que cerca de 9% do faturamento da organização se destina a marketing e que esse investimento vem aumentando nos últimos três anos.

Outro projeto originalmente brasileiro, iniciado em 2008, a rádio-web Levi's Music, continua e deve ser relançada em 20 de abril. Na mídia tradicional, os anúncios estarão presentes basicamente em revistas como Rolling Stone, Trip e TPM. A ação nas faculdades de moda também vai promover palestras gratuitas dos estilistas da Levi's para os alunos e todo o sistema de divulgação estimulará a publicação de conteúdos produzidos pelos próprios consumidores. Segundo avaliação da própria Tetê Pacheco, "é uma estratégia bastante ousada, especialmente para uma época de crise".

O PLANEJAMENTO (E O PLANEJADOR)

Numa iniciativa de aproximar as práticas de mercado com as atividades acadêmicas agência de comunicação promove grupo de estudos para planejadores em comunicação

No próximo dia 07 de abril (terça-feira) acontece reunião do Grupo TOM de Estudos com o tema "O Planejamento e o Planejador". No encontro profissionais e estudantes da área debatem os bastidores e o dia-a-dia na área de planejamento dentro de agências de publicidade.

A atividade é promovida pela TOM Comunicação na Academia de Idéias (Rua República Argentina, 755 - Sion) das 8 às 10 da manhã. Os interesados devem se inscrever mandando e-mail para grupodeestudos@tomcomunicacao.com.br e aguardar confirmação. As vagas são limitadas e 60% do total serão destinadas a estudantes. No mesmo dia será entregue formulário de inscrição para o récem criado Clube de Planejamento de Minas Gerais (CPMG).

Mudança de logo




Já vimos essa história antes, com algumas pequenas diferenças... Vale a pena ler a matéria, publicada na semana passada, e refletir sobre o assunto.

Bombril

Comentário Inicial: Admiro muito a história dessa organização... Principalmente após saber que, quando esteve perto de fechar suas portas, seus funcionários uniram-se para reergue-la por acreditarem nos propósitos da organização onde trabalham! E conseguiram! Fica ainda a dica do "Eterno-1001 anúncios da Bombril", que traz as campanhas ao longo dos últimos 10 anos com o eterno garoto-bombril, Carlos Moreno e um pouco da história da marca.

No Brasil não existe lã de aço, ninguém sabe o que é isso. Para conseguir esse produto, você precisa chegar no mercado e pedir um pacote de BOMBRIL. O nome é simples, criado a partir da mistura das palavras bom brilho, expressão que visa enaltecer as qualidades da própria lã de aço, primeiro produto da empresa. Com o lema Possui mil e uma utilidades, se referindo às diversas finalidades que uma pessoa pode utilizar a lã de aço BOMBRIL, e propagandas com o mesmo ator representando vários personagens diferentes, a marca BOMBRIL chegou a conquistar cerca de 90% do mercado brasileiro.
-
A história
Tudo começou em 1948, quando Roberto Sampaio Ferreira recebeu como pagamento de uma dívida uma máquina de extração de esponjas de lã de aço, até então um produto importado, caro e pouco acessível. Em 14 de janeiro desse mesmo ano, iniciou a fabricação da lã de aço com a fundação da empresa Abrasivos Bombril, no bairro do Brooklin em São Paulo. O lançamento foi uma revolução para as donas de casa porque, além de polir panelas, o produto limpava vidros, louças, azulejos e ferragens, ficando conhecido como “1001 utilidades”. Por isso, somente naquele ano, foram vendidas 48 mil unidades. Como inicialmente o produto era vendido solto, não havia diferenciação a não ser a qualidade de BOMBRIL. Foi então que o produto começou a usar um pequeno selo vermelho devido ao sucesso e à concorrência que não demorou surgiu no mercado. Logo depois as lãs de aço foram acondicionadas numa caixa feita de papelão na cor vermelha, ilustrada com uma dona de casa limpando panelas, dando o “Bom Brilho” de onde se originou o nome do produto.
-
-
Entre 1961 e 1973, a BOMBRIL cresce e inicia a incorporação de outras empresas como a Companhia de Produtos Químicos - Fábrica Belém, detentora das marcas Sapólio e Radium, de saponáceos em pedra passando a desenvolver e aprimorar a linha Sapólio Radium, incluindo uma versão cremosa; a Indústria de Lã de Aço Mimosa Ltda., do Rio de Janeiro, em 1972; e a Q'Lustro, empresa que detinha aproximadamente 25% do mercado nacional de lã de aço; além do lançamento de inovações como a embalagem plástica com seis unidades (1964). A marca começou a ganhar enorme visibilidade em 1978, quando foi criada, pelos publicitários Washington Olivetto e Francesc Petit, da agência DPZ, a figura do Garoto Bombril, representada pelo ator Carlos Moreno. Rapidamente o personagem se associou ao produto e as vendas estouraram. Nesta mesma época, a empresa iniciou a expansão de sua linha de produtos sob a marca BOMBRIL, com o lançamento do Desengordurante Limpa Limo. Nos anos seguintes outros novos produtos, em diferentes segmentos foram introduzidos no mercado como detergente líquido, desinfetante, amaciante, além de esponjas de lã de aço com sabão, palhas de aço, sabão em barra, saponácio, limpadores, panos de limpeza, inseticidas e desodorizadores de ambiente.
-
Embalagens: antiga (esq.) e atual (dir.)
-
Em 1998, a popularidade da marca pode ser comprovada quando a BOMBRIL foi apontada pela Pesquisa Top of Mind realizada todo ano pelo Datafolha, como a marca brasileira mais lembrada quando se pergunta “Qual é a primeira marca que vem à cabeça?”. A popularidade da marca atinge índices elevados em abril de 2003, quando a versão tradicional do produto alcança a marca de 77 milhões de saquinhos vendidos e, no mês seguinte, bate o recorde com 79 milhões de saquinhos. Em 2007 foi iniciado um trabalho de revitalização de marcas e lançamentos de novos produtos. O resultado: a empresa encerrou o ano com 73 novos itens e outros 72 passaram por alguma reformulação de marca, embalagens, etc.
-
-
A diversificação de produtos
A BOMBRIL, sinônimo de lã de aço do Brasil, começou a diversificar sua linha de produtos no final da década de 70:
1978
Lançamento do Desengordurante Limpa Limo.
Lançamento do detergente líquido Limpol.
1983
Lançamento do amaciante de roupa Mon Bijou.
1993
Lançamento do sabão em pó Quanto.
1998
Lançamento dos limpadores BOMBRIL Multi Uso e BOMBRIL Multi Limpeza, do BOMBRIL Esponja Sintética e do Detergente Limpol Gel.
1999
A empresa ingressa no mercado de água sanitária e alvejantes.
Lançamento da Palha de Aço BOMBRIL Mágica.
2000
Lançamento da Esponja Sintética Multi Uso II.
2002
Lançamento do Inseticida Atak nas versões Multi-inseticida; Mata Moscas e Mosquitos e Mata Baratas.
Lançamento dos Panos de Limpeza BOMBRIL.
2003
Lançamento da Esponja de Lã de Aço BOMBRIL Fácil, com embalagem moderna e tamanho reduzido da versão original, facilitando ainda mais a limpeza.
2007
Lançamento das linhas Fort (inseticidas e repelentes), Limpex (panos de limpeza) e Prá-Lixo (sacos de lixo).
-
-
Um caso de sucesso
A BOMBRIL é responsável pelo mais famoso garoto-propaganda da publicidade brasileira. É difícil encontrar alguém que não conheça o Garoto BOMBRIL. Mas a história da publicidade da BOMBRIL começa nos anos 50, quando a empresa, aproveitando o sucesso do rádio, criou o programa “Gente que brilha” na Rádio Nacional, apenas a primeira de muitas ações consagradas da marca no meio. Ainda nesta década, logo após a chegada da televisão no país, a empresa lançou o “Cirquinho Bombril”, apresentado pelo palhaço Carequinha. Também inovou ao marcar presença no céu com aviõezinhos que soltavam fumaça e escreviam a palavra BOMBRIL. Porém, foi em 1978 que a empresa inaugurou uma nova fase na comunicação da marca, e um marco na publicidade brasileira. Foi neste ano que Francesc Petit e Washington Olivetto, então na DPZ, introduziram uma figura que representasse as mudanças comportamentais da época. Nesta época, a sociedade viu uma mudança de valores sendo registrada pela publicidade. O fato é que as mulheres, em especial, começavam a valorizar mais homens com um quê de desprotegidos, tímidos ou carentes em detrimento do estereótipo machão e atlético, “símbolo” de força e segurança.
-

-
Para personificar essa mudança, Petit e Olivetto fizeram testes com vários atores, até chegarem em Carlos Moreno, que parecia ser o melhor capacitado para incorporar o perfil exigido. Logo após a primeira aparição, o público consagrou o personagem, e aquele que seria apenas um personagem para anunciar um produto, tornou-se o porta-voz de uma empresa junto a seu público. Logo após o lançamento da campanha as vendas da Lã de Aço BOMBRIL chegaram à marca de 420 milhões de unidades. Os anos passavam e o sucesso continuava. Em 1986, Olivetto abriu sua própria agência, a W/GGK, atual W/Brasil, e a BOMBRIL acompanhou a mudança. É uma das únicas contas que estão na agência desde sua fundação até hoje. O reconhecimento mundial não demorou e em 1994 a campanha foi para o Guinness Book - Livro dos Recordes - como a série de publicidade mais longa do mundo. Se na mídia eletrônica a fórmula já era um sucesso, em 1997 ela se consagrou também na mídia impressa. As contracapas de revistas contendo anúncios da marca viraram inclusive objeto de coleção de muitas pessoas por todo o país. O “Garoto Bombril” registrou diversas mudanças sociais e acontecimentos ao longo dos 26 anos em que está no ar, sempre se renovando e inovando. O caso Monica Lewinski, o sucesso de Tiazinha, a agitação do Padre Marcelo Rossi, entre outros, são exemplos de alguns momentos registrados pela publicidade da BOMBRIL, depois de mais de 250 comerciais de televisão e 90 anúncios de revistas.
-
-
Mas para surpresa geral, em 2004 Carlos Moreno se despediu da BOMBRIL em um comercial no qual dizia: “Toda vez que você usar um produto BOMBRIL você vai lembrar um pouquinho de mim”. A separação foi curta. Em 2005, ele retornou ao seu posto de Garoto BOMBRIL. No ano seguinte, o personagem faz um retorno triunfal e prova mais uma vez que é o garoto-propaganda mais querido do Brasil. No ano seguinte, a principal “estrela” do mercado de lã de aço brasileiro voltou às telas de TV para brilhar ao lado de ícones nacionalmente conhecidos. Por meio de uma campanha publicitária inusitada, os telespectadores de todo o Brasil, voltaram a assistir às marcantes atuações de Carlos Moreno, ao interpretar Charlie Chaplin, Nelson Ned e o atleta do século, Pelé, para divulgar o conceito da campanha “Tudo passa. Só Bombril fica. Ninguém passa sem Bombril”. Os 30 anos da campanha com o Garoto BOMBRIL foram comemorados em grande estilo. Para marcar o aniversário do personagem mais querido da publicidade brasileira, foi lançado o livro “Eterno – 1001 anúncios da Bombril”. Qual será o próximo?: esta é uma pergunta que fica no ar e na cabeça dos brasileiros.
-
O Cine Bombril
Em outubro de 2005, o Conjunto Nacional e a cidade de São Paulo ganhavam um presente: o Cine Bombril, um espaço diferenciado, em que o nome e o espírito BOMBRIL iam muito além de sua utilização para identificação de um conjunto de salas de cinema. O contato do consumidor com a marca BOMBRIL transcendeu a esfera dos produtos e passou a um outro plano, o da atividade cultural, integradora.
-
-
Os slogans
O nosso negócio é brilhar.
(2007)
Tudo passa. BOMBRIL fica. Ninguém passa sem BOMBRIL.
Bombril tem 1001 utilidades.

-
Os dados
● Origem: Brasil
● Fundação:
14 de janeiro de 1948
● Fundador:
Roberto Sampaio Ferreira
● Sede mundial: São Bernardo do Campo, São Paulo
● Proprietário da marca:
Bom Bril S/A
● Capital aberto: Sim (1984)
● Chairman:
Ronaldo Ferreira
● Presidente:
Gustavo Ramos
● Faturamento:
RS$ 887 milhões (2007)
● Lucro: RS$ 90 milhões (2007)
● Valor de mercado: RS$ 107 milhões (2007)
● Marcas:
17
● Linha de produtos:
183 itens
● Presença global: Não (presente somente no Brasil)
● Funcionários:
2.428
● Segmento: Limpeza e higiene
● Principais produtos: Lã de aço, limpadores multi-uso, detergente, amaciante
● Ícones: O garoto BOMBRIL representado por Carlos Moreno
● Slogan: BOMBRIL tem 1001 utilidades.
● Website:
www.bombril.com.br
-
A marca no Brasil
Com três complexos industriais, localizados em Anchieta, São Bernardo do Campo (SP), Abreu e Lima (PE) e Sete Lagoas (MG), onde são produzidas, anualmente, mais de 250 mil toneladas de produto, a BOMBRIL conta hoje com 2.428 funcionários e uma linha composta por 183 itens de 17 marcas diferentes em 22 segmentos de mercado. Uma vez completada a atividade industrial, as marcas da BOMBRIL seguem para inúmeros pontos-de-venda em todo o país, o que faz com que a empresa esteja presente em mais de 90% dos lares brasileiros.
-
-
As fontes: as informações foram retiradas e compiladas do site oficial da empresa (em várias línguas), revistas (Fortune, Forbes, Newsweek, BusinessWeek e Time), sites especializados em Marketing e Branding (BrandChannel e Interbrand), Wikipedia (informações devidamente checadas) e sites financeiros (Google Finance, Yahoo Finance e Hoovers).

Minha fonte: http://mundodasmarcas.blogspot.com/

Nova campanha SocioAmbiental da Honda

A Honda lançou na Europa uma campanha para o seu novo Insight Hybrid, e com uma proposta bem ousada: se tornar a empresa mais admirada do mundo. A intenção é fortalecer a filosofia da marca quanto a sustentabilidade e produtos cada vez mais amigáveis ao meio-ambiente. Segundo a Honda, o Insight vai ser o carro híbrido mais acessível do mercado, e por isso a escolha da assinatura “Everyone Wants to Be Good.” A campanha vai envolver diversas mídias, incluindo ponto de venda, e o primeiro comercial já está no ar.

“Let It Shine” parece ser uma gigante tela de LEDs animados, que conta uma história através de ícones. Mas não é bem isso que está gerando essa animação ao som de “This Little Light of Mine” de Berend Dubbe. Produzido pela Bouffant, a gravação física do comercial foi um verdadeiro exercício matemático, para depois contar com apoio digital na pós-produção. Essa medida foi, inclusive, uma alternativa para controlar a emissão de carbono durante as filmagens

Outras duas características marcam essa campanha: o uso do ícone Honda Eco (a flor) e o abandono da cor verde para representar qualquer coisa ligada a meio-ambiente. A partir de agora, a Honda passa a utilizar tons de roxo, laranja e amarelo em sua comunicação para esse tipo de veículo.

Assista o comercial abaixo, e um making of aqui. A criação é da Wieden + Kennedy Amsterdam.

video

Fonte: brainstorm9

Abras aponta marcas mais vendidas

O estudo engloba sete mil marcas em diversos supermercados ao redor do Brasil. Nescau, 51 Pirassununga, Três Corações, Skol, Veja e Melitta foram as mais vendidas

A Associação Brasileira de Supermercados (Abras) divulga a Pesquisa Líderes de Vendas, realizada em parceria com a Nielsen, que aponta quais foram as marcas mais vendidas nos supermercados brasileiros. O estudo englobou sete grandes regiões (Nordeste, Grande São Paulo, Grande Rio de Janeiro, interior de São Paulo, Minas Gerais, interior do Rio de Janeiro e Espírito Santos, Sul e Centro-Oeste), em um total de sete mil marcas.

Algumas marcas se mostram fortes junto ao consumidor, permanecendo como as mais vendidas nos supermercados nos últimos dez anos. São elas: achocolatado em pó Nescau, da Nestlé, aguardente 51 Pirassununga, da Cia. Muller, capuccino Três Corações, da Santa Clara, cerveja Skol, da Ambev, concentrado de limpeza Veja, da Reckitt Benckiser, filtro de papel Melitta, da Melitta, margarina Qualy, da Sadia, presunto Sadia, da Sadia, suco em pó Tang, da Kraft Foods e tempero industrializado Sazon, da Ajinomoto.

As marcas que alcançaram a liderança são:

- Categoria Chocolate Bombom: Depois de quatro anos sem alteração, a lista da categoria tem Especialidades Nestlé como nova líder

- Categoria Massa Refrigerada: Tradicionalmente estável, setor tem mudança nas três primeiras posições. Massa Leve é nova líder

- Categoria Salgadinho Congelado: Perdigão sai da segunda para a primeira colocação

- Categoria Creme para o corpo: Nívea, após dois na segunda colocação, recupera a liderança

- Categoria Fralda descartável: Pacote econômico Turma da Mônica, da Kimberly Clark, alcança a liderança e Johnson's Baby reconquista o terceiro lugar

- Categoria Lenço de papel: Scottys, da Kimberly Clark, ressurge entre as cinco primeiras; Kiss reassume a vice-liderança

- Categoria Rejuvenescedor: Biocolor, da Hypermarcas, que não estava entre as cinco no ano passado, destaca-se em primeiro lugar

- Categoria Desinfetante: Pinho-Sol, da Colgate, é o novo líder de vendas da categoria

- Categoria Pano de limpeza: Perfex salta da terceira para a primeira posição; Flanex reassume o quinto lugar, alcançado em 2006

- Categoria Envoltório/Alumínio: Wyda salta para a primeira posição

 
CRIA Plano © 2010 | Designed by Chica Blogger | Back to top